Menu

Senado aprova texto que expande lista de beneficiados com auxílio de R$ 600 durante pandemia do coronavírus

A proposta foi aprovada por unanimidade com 79 votos em sessão virtual nesta quarta (1)

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Leopoldo Silva - Agência Senado

O Senado aprovou nesta quarta-feira (1) o projeto de lei que estende o auxílio emergencial de R$ 600 nos próximos três meses devido à pandemia do coronavírus. Foram incluídos na lista os trabalhadores informais, que em 2018 tiveram rendimentos altos, e pais de adolescentes, que não foram incluídos na proposta anteriormente porque o auxílio é destinado aos maiores de dezoito anos.

De acordo com o texto, pais solteiros passam a ter o mesmo tratamento já concedido a mães solteiras, e receberão, automaticamente, duas cotas do auxílio, que totaliza R$ 1,2 mil. Mulheres nessa mesma situação familiar já estavam incluídas no auxílio.

O texto aprovado nesta quarta-feira foi um substitutivo apresentado senador Esperidião Amin (PP-SC). O projeto recebeu 79 votos favoráveis e foi unanimidade entre os senadores que participaram da sessão virtual que debateu o assunto. O projeto agora segue para a Câmara dos Deputados. 

O objetivo do auxílio emergencial é diminuir o impacto gerado pela pandemia do Covid-19 na renda de pessoas que não possuem carteira assinada.
 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

LOC.: O Senado aprovou nesta quarta-feira (1) o projeto de lei que estende o auxílio emergencial de R$ 600 nos próximos três meses devido à pandemia do coronavírus. Foram incluídos na lista os trabalhadores informais, que em 2018 tiveram rendimentos altos, e pais de adolescentes, que não foram incluídos na proposta anteriormente porque o auxílio é destinado aos maiores de dezoito anos.

De acordo com o texto, pais solteiros passam a ter o mesmo tratamento já concedido a mães solteiras, e receberão, automaticamente, duas cotas do auxílio, que totaliza R$ 1,2 mil. Mulheres nessa mesma situação familiar já estavam incluídas no auxílio.

O texto aprovado nesta quarta-feira foi um substitutivo apresentado senador Esperidião Amin (PP-SC). O projeto recebeu 79 votos favoráveis e foi unanimidade entre os senadores que participaram da sessão virtual que debateu o assunto. O projeto agora segue para a Câmara dos Deputados. 

O objetivo do auxílio emergencial é diminuir o impacto gerado pela pandemia do Covid-19 na renda de pessoas que não possuem carteira assinada.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes